BLOCKCHAIN

Presidente brasileiro assina decreto estabelecendo uma rede blockchain


Principais fatos:

A rede blockchain será usada para “fornecer serviços públicos de qualidade”.
O decreto identificou 18 objetivos relacionados às novas tecnologias.

Segundo informações divulgadas pela mídia local, o atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, assinou um decreto propondo a criação de uma plataforma blockchain para o governo federal do país.

O decreto nº 10332, assinado em 28 de abril, foi posteriormente publicado no Federal Register. A iniciativa assinada por Jair Bolsonaro faz parte de um plano para implementar um governo digital de 2020 a 2022. Conforme declarado no decreto, o objetivo do plano é recuperar a qualidade da confiança brasileira por meio de políticas e serviços públicos eficazes.

O documento esboçou 18 metas para realizar suas respectivas iniciativas para alcançar a digitalização do serviço público nacional. Além disso, explica como o governo federal pode usar a plataforma para obter maior interoperabilidade, simplificar os vários processos da empresa e fornecer soluções digitais nos serviços públicos do país. A este respeito, o decreto enfatiza os seguintes objetivos:

Governos inteligentes implementam políticas eficazes baseadas em dados e evidências e, além de promover um ambiente de investimento competitivo e atraente, também antecipam e tratam de forma proativa as necessidades de cidadãos e organizações.

Trecho do Decreto nº 10.332.

Segundo publicações locais, o oitavo objetivo do decreto é um dos objetivos mais interessantes do documento. Isso mostra como desenvolver novos serviços públicos futuros e tecnologias emergentes por meio de inteligência artificial. Além disso, deve-se notar que até 2020, a administração pública federal usará a tecnologia blockchain.

Brasil planeja adotar tecnologia blockchain

O decreto também afirma que até 2022, o governo federal implementará a interoperabilidade implementando recursos que promovam a criação de redes blockchain.

Nesse sentido, a meta 12 é uma das metas mais relevantes para a tecnologia blockchain. Ele discute a realização da identidade digital do cidadão e planeja tornar o sistema acessível a 40 milhões de residentes até 2022. Portanto, o governo brasileiro quer permitir que os cidadãos assinem digitalmente no mesmo ano.

A meta 16 é outro ponto de preocupação do decreto, pois envolve a otimização da infraestrutura de tecnologia da informação. Além de propor mudanças nas soluções estruturais de software, o governo brasileiro também planeja usar a nuvem para a migração de vários serviços.

Em 24 de abril, o presidente brasileiro também concorreu a uma empresa profissional de blockchain para fornecer uma solução para o governo criar e gerenciar uma rede compartilhada.

No início de abril, foi relatado que o Banco Central do Brasil lançou o PIER, uma plataforma blockchain que contém um banco de dados abrangente que será integrado por três instituições brasileiras. A plataforma é executada no blockchain Quorum do JP Morgan.

Fonte de informação: compilado a partir de CRIPTONOTICIAS por 0x informações. Os direitos autorais pertencem ao autor Sander Machado e não podem ser reproduzidos sem permissão